quarta-feira, 29 de julho de 2009

Não tenho em minhas mãos



Assim como o sol e a lua
E as infinitas estrelas que no céu estão a brilhar
Ou as areias do deserto do Saara
Tenho você brilhando sempre
Apenas nas minhas fotos.

E como uma estrela cadente
Ou como um tempestade de areia
Vens e vai rapidamente
Pois jamais te tenho em minhas mãos.

Até parece que devo começar a procurar
Uma outra pedra preciosa
Para quem sabe começar a lapidar
E fazê-la brilhar em minhas mãos!

nara leão - Amor nas estrelas

17 comentários:

Dora disse...

Devo confessar-lhe, caro Mr. Blue, que esse teu poema muito me lembra um outro do sr. Quintana que diz:

"Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!"

Paciência, Mr. Blue, paciência...

E sobre o post lá... quem não desacelera vez ou outra, né?

Um cheiro grande e uma linda noite.

Déia disse...

É....não adianta só lamentar... vá lá buscar suas pedras preciosas, diamantes, enfim seus sonhos...não mande buscar... vá vc mesmo!!!!
E se não conseguir, respire fundo e tente outra vez... nada é impossível ...não há jeito só pra morte! bj

Everson Russo disse...

E foi a esse sentimento e a essa conclusão que cheguei meu amigo poeta, vivi tambem a mesma situação e conclui que se a estrela alem de estar longe, quando a gente se aproxima se afasta mais, devemos buscar no universo uma outra estrela que nos deixe toca la, que nos faça sonhar de novo, que nos ame como merecemos e sonhamos, uma outra pedra a ser lapidada é muito bom, penso que seja bom começar tudo de novo, com os cuidados pra nao sofrermos tanto, mas é bom ....forte abraço e um otimo dia pra ti...

Majoli disse...

Blue, Milton Nascimento disse assim: "Certas canções que ouço, cabem bem dentro de mim...que perguntar carece, como não fui eu quem fiz?"
Assim me sinto ao ler sua poesia...

Sua escolha musical é sempre linda.

Beijos.

Branca disse...

Passando pra desejar uma ótima tarde!

Bjo.

Bela disse...

Oiiiiiiiiiiii

A foto está magnifica e bastante inspiradora.
Quanto ao poema só me dá para dizer que o fruto proibido é sempre o mais apetecido.

Beijão

Olavo disse...

Neste mês de agosto o blog esta em comemoração
E te convido a partipar durante todo o mês com a gente..
E para começar tem selo comemorativo lá no blog..
Abraço.

Anônimo disse...

solidão...
quem tem a lua como namorada nunca está só.
gosto.

Ariana disse...

Parabéns, poeta!

Amei isso!
A imagem, a música, e claro, o poema!

Lindo mesmo, digno de um poeta de gabarito, que tem nos versos as palavras perfeitas.
Tô pasma!
Assim você vai longe, hein...


Beijos!

Cris disse...

a gente nunca sabe ao certo se é hora de insistir ou de partir, porque o coração faz tanto barulho que não se pode nem ouvir a razão, eterna duvida dos que amam...beijos

Bia Maia disse...

Bom, meu querido...
este negócio de amor não correspondido é para masoquistas...rs...

Já é quase que passada a hora de começar a nova lapidação...certamente encontrará uma pedra bem melhor!

beijos em vc!
beijinhos,

Biazinha

Pâmela Rodrigues disse...

Concordo com a moça do comentário acima, lembra Quintana mesmo, mas também me lembrou um "certo alguém" que nunca tive nas mãos.

Beijosssssssssss

Everson Russo disse...

Amigo Poeta Blue, passando pra desejar um otimo final de semana cheio de poesia e paz na alma e tenha a certeza, um dia o amor acontece de novo e com certeza vindo do azul e de azul...forte abraço...

Everson Russo disse...

Voltando só pra fazer um registro, concordo contigo no que diz respeito "ela merece", nossa querida amiga Lu, outro dia estive conversando com ela pelo orkut e brinquei que agora to virando um sanguinario ladrão de ideias,,,rs,,rs,,ela morreu de rir, sabe o que é? Meus amigos me inspiram,e como inspiram, vide o post do dia 28, que voce passou em branco pelo Livro, aquele foi pra ti...roubei uma ideia sua...rs.rs..rs...abraços amigo,

Everson Russo disse...

Que isso meu amigo, tem que pedir desculpas não, acontece, e concordo contigo, não podemos ser escravos da net, ela é uma forma de expressão, jamais pode tomar mais lugar do que deve, apesar de que, quando voce não faz um post ou dá aquela sumidinha que todo poeta precisa, a gente daqui sente muita falta, seus poemas são sim inspiradores, como disse a Lu e a voce hoje, agora virei ladrao de ideias...rs..rs..rs...mas enfim, já te disse isso e repito, sinto na sua forma de escrever e de se expressar com relação ao amor tudo aquilo que eu vivi, senti e sofri, portanto, ler voce, me inspirar em voce é uma tradução do que sinto, nossas historias e musas meio que se misturam, tambem vivi intensamente, tambem sofri pra derrubar o mundo, hoje to aqui nesse mundo azul, apontando minha artilharia pra todo lado, escrevendo e de refazendo, penso que temos que nos reencontrar por aqui mesmo, nossas novas musas estão aqui no planeta azul, esse negocio de Marte a gente deixa pra ficção..rs..rs..rs..sei lá, lembra dos desenhos e filmes da nossa epoca, mulehres verdes com um olho só...rs..rs..rs...brincadeira amigo...forte abraço mais uma vez e otimo final de semana...

Luciana P disse...

Tem toda razão, Blue, aquilo não passam de palavras... aquele amontoado de bobagens que eu escrevo no Afrodite são apenas palavras...
Gostei do barranco de melancolia. Até perdi a conta de quanto tempo faz que estou encostada nele.

Beijos, poeta!

paula barros disse...

Amigo, que conclusão sábia seu poema me passa, que muitas vezes ficamos perdendo tempo com quem não nos valoriza, ou simplismente não nos ama. E precisamos está abertos e também irmos em busca de outro amor.

felicidades.