quinta-feira, 9 de julho de 2009

Retrato na parede


Retratos seus estão na parede,
Todos eu que retratei.
E sempre ao olhar pra eles,
Vejo a linda mulher que amo!

Lembro como posavas,
As vezes com semblante sério,
Na maioria com um sorriso aberto,
E tudo era um ótimo passa-tempo!

Quem sabe um dia,
Outros retratos terei que ver.
Pois então tenho que aceitar,
Que tudo se perdeu!

Mas não quero trocar de retrato,
Pois espero você voltar.
Assim a reforma da parede,
Não preciso fazer!



Edson e Hudson - Porta Retrato

12 comentários:

Aline disse...

Gosto muito dessa música.

Edilene disse...

Ficou lindo, juntamente com a poesia!!

Nany C. disse...

é meu amigo... tem sempre algo para completar a saudade...

a música sempre se torna presente nesses momentos...

boa escolha.. e suas palavras, lindas!!

um ótimo feriado,Blue!

Beijos em seu coração!!

paula barros disse...

Eita, que é muita criatividade para escrever...além desse sentimento de amor imenso, que não finda, que aguarda o retorno, que faz escrever poemas e mais poemas...

Então vamos sentar e apreciar os quadros enquanto o amor retorna...ou no dia que um outro amor chegar balançando as paredes do coração e derrubando todos os porta retratos pendurados na alma.

beijo

Palma da Mão disse...

Quando se ama,quando um sorriso ou um beijo se torna mais importante que uma louca noite cheia de calor e desejo, é assim meu amigo querido, esperamos sempre pelo regresso, não deixamos de acreditar e mesmo que a realidade nos mostre outras cores, o branco do que sentimos, a pureza do doce no nosso olhar só tem um destino, aquilo em que ainda acreditamos, doi muito, mas ao mesmo tempo, é algo que nos alimenta e que à nossa maneira nos faz feliz e infeliz, não esperamos compreensão de quem nos rodeia, chamam-nos loucos e masoquistas, mas que importa os nomes que nos dão ao corpo, se a alma se chama de amor!
Beijinhos migo

Anna e Cesar disse...

Menino poeta, cá estou eu...
Bom. quando retratamos alguém nas paredes (especialmente do nosso coração) ainda que o tempo passe, a pintura desbote, dentro de nós esse retrato permanece vivo, presente... E a musica, complementou maravilhosamente o seu poema. De parabens mais uma vez vc está!!

Tenha um final de semana repleto de amor, inspiração e alegrias!

Déia disse...

Adorei... uma vez tive que tirar fotos do meu amor do porta retrato, parecia que eu arrancava um pedaço de mim! doeu muito, mas que bom que ja passou!

Tetê disse...

Blue,

poxa... vc sabe como fazer a gente se emocionar, hein??!!!

que música linda... tô baixando agora! nunca havia ouvido.

"...ouvir meu coração pedindo pra vc voltar..."

combina com a harmonia do poema,
secreto,
guardado na parede, pensando que ficando exposto, a saudade não vai entrar
e abusar de nossos desejos...


"...bateu saudade chama..."


e se exposto,
ainda causa saudade e lembrança,
é porque não passou...

"...não dá, ficar sem vc não dá..."


é, não dá!!

obrigada por me trazer de volta
à realidade.

abraço forte

Majoli disse...

Queria comentar mas não acho palavras, me vejo escrevendo sua poesia...A música é linda. Beijos.

Everson Russo disse...

Bom dia meu querido amigo poeta da saudade, tambem tenho guardado na lembrança e nas gavetas tais retratos, as vezes gosto de reve los, as vezes nao me permito, tem dias que nem ligo, tem dias que dói mais, já nem sei se quero a volta daquele rosto, talvez eu nem queira outro mais, mas enfim, o amor mora dentro da gente,mesmo que a gente nao acredite, tenho andado assim.
Meu amigo, nada da nossa querida amiga né? vamos continuar nossa luta, unidos venceremos ao certo...rs..rs...e ela merece.
Um forte abraço e um final de semana de inspiração poesia e paz...

Giane disse...

E quantas "reformas" somos obrigados a fazer...

Beijos mil!!!

Helô Müller disse...

Ah, Poetinha amado !!
Todos os amores que vêm e vão de nossas vidas, ficam cunhados na alma, com ou sem retrato nas paredes... Não dá pra esquecê-los, mas dá pra superá-los sim !!! Assim, pensa esta ariana que vos fala ... rs
Linda poesia, linda música, lindo vc!
Beijos em preto e branco !
Helô